Bonsais
Cuidados dos bonsais
Poda dos bonsais
Poda de manutenção
Poda estrutural dos bonsais
Bonsai Carmona Retusa
Bonsai Ficus Carica
Bonsai Ficus Retusa
Bonsai Olivo

Cuidados das plantas
Fertilização das plantas
Humidade das plantas
Luz das plantas de interior
Período de repouso
Problemas frequentes
Regas das plantas
Replante de plantas
Temperatura das plantas

Plantas de interior
Figueira Benjamim
Kentia
Spathiphyllum
Tronco de Brasil

Plantas medicinais
Medicinais adelgaçantes
Medicinais afrodisíacas
Medicinais anti-depressivas
Medicinais anti-inflamatórias
Medicinais depurativas
Medicinais relaxantes

Reprodução plantas
Plantas com flores
Fecundação
Germinação
Polinização
Plantas sem flores

Tipos de plantas
Plantas não vasculares
Plantas vasculares
Plantas segundo reprodução
Plantas segundo o tamanho

Imagens de plantas
Desenhos de plantas
Fotos de plantas
Fundos de ecrã de plantas

Germinação


As sementes capazes de germinar absorvem a água da chuva e se incham. A isto se chama a embebição. Depois de alguns dias, a nova raiz (posteriormente o novo caule) perfuram o envoltório da semente. Uma ou duas folhos embrionárias arredondadas e espessas são visíveis quase desde do inicio: falamos de cotilédones. Estes já existiam na semente; contêm todas as reservas de alimento necessárias para o crescimento da planta.

A germinação do pólen começa com um alargamento deste pela absorção da água da superfície do estigma. Os vacúolos turgentes empurram o intine e o citoplasma até à abertura do grão de pólen. Este é o princípio do crescimento do tubo polínico.

Germinação Germinação

Quando o tubo polínico aumenta, o citoplasma e os 2 núcleos encontram-se confinados na sua extremidade, deixando o núcleo gametogénico ligeiramente por detrás do núcleo vegetativo. Os fenómenos da elongação celular se encontram limitados à extremidade do tubo. Este atravessa o estilo sem penetrar nunca nas células. As células do tecido de condução actuam como carris para o tubo polínico.

Existem duas categorias de germinação: numa, os cotilédones são levantados pelo crescimento do caule; noutra, estes ficam na terra. No final da germinação, o murchar dos colitédones indica que cumpriram o seu papel. As verdadeiras folhas se desenvolvem sobre o caule e tomam o relevo no trabalho de alimentar a planta graças à fotossíntese.


   
Contacte-nos Condições de uso